Através desse tipo de fundo, várias pessoas “se reúnem” e investem em conjunto. Isto é, pessoas financiam os FIIs, incialmente por meio de uma oferta pública, e com esse capital em conjunto, uma gestora investe em oportunidades do setor imobiliário.

Cada “condômino”, que neste caso é conhecido como cotista, tem uma pequena parcela desses empreendimentos, que são chamadas de cotas.

Posteriormente, os cotistas e outros investidores podem vender e comprar mais cotas, de acordo com seus próprios objetivos. Todas as negociações dessas cotas de fundos imobiliários acontecem na Bolsa de Valores, assim como as ações de uma grande empresa.

Encontrou sua resposta?